Macron French Elections Aurelien Morissard/ IP3

Lições dadas pelos anti-globalistas

NOVA IORQUE – A vitória provável de Emmanuel Macron nas eleições presidenciais francesas suscitou um suspiro global de alívio. Pelo menos, a Europa não irá pelo caminho proteccionista que o presidente Donald Trump está a impor aos Estados Unidos.

Mas os defensores da globalização não deverão abrir ainda o champanhe: os proteccionistas e os defensores da “democracia não-liberal” estão em alta em muitos outros países. E o facto de que um fanático convicto e mentiroso habitual possa vir a ter tantos votos como Trump teve nos EUA, e que a representante da extrema-direita, Marine Le Pen, possa estar na segunda volta das eleições a 7 de Maio, deveria ser profundamente preocupante.

Alguns assumem que a gestão medíocre e a incompetência óbvia de Trump deviam ser suficientes para amolgar o entusiasmo por receitas populistas noutras paragens. Do mesmo modo, os eleitores do Cinturão da Ferrugem dos EUA que apoiaram Trump estarão quase seguramente pior dentro de quatro anos, e certamente que isto será compreendido pelos eleitores racionais.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To read this article from our archive, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles from our archive every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/kgJlts7/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.