Educação para todos

EDIMBURGO – Os Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ODM), que visam assegurar que até Dezembro de 2015 todas as crianças em idade escolar frequentem efectivamente o ensino, parecem estar seriamente comprometidos. Considerando que, nos últimos meses, as crianças que vivem em Gaza, na Síria, no Iraque e na Nigéria se encontram literalmente na linha de fogo, a gigantesca dimensão do desafio não poderia ser mais evidente. Afinal de contas, o cumprimento da promessa de uma educação universal exige que mesmo aqueles que se encontram nas circunstâncias as mais difíceis, como as crianças refugiadas e as que vivem nas zonas de combates, possam adquirir uma educação básica em condições de segurança.

Um investigação académica sugere que nenhum país conseguirá beneficiar de uma prosperidade sustentada (nem evitar a armadilha do rendimento médio), se não houver um investimento em grande escala em matéria de educação de elevada qualidade. Esta afirmação é particularmente verdadeira no actual contexto de uma economia baseada no conhecimento, em que a valorização das empresas é feita em função dos respectivos activos humanos, e não apenas físicos, e as bolsas de valores avaliam o capital intelectual, além do capital físico.

A educação é considerada há muito como como o principal garante do rendimento, da riqueza, do estatuto e da segurança. Contudo, milhões de pessoas foram sistematicamente excluídas ou deixadas para trás, sendo que, a nível mundial, quase metade das crianças ainda não tem acesso à educação básica.

To continue reading, please log in or enter your email address.

Registration is quick and easy and requires only your email address. If you already have an account with us, please log in. Or subscribe now for unlimited access.

required

Log in

http://prosyn.org/4mRSQ9O/pt;