Skip to main content

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated Cookie policy, Privacy policy and Terms & Conditions

eichengreen132_Ramin TalaieCorbis via Getty Images_william c dudley Ramin Talaie/Corbis via Getty Images

Dudley agiu bem?

HANALEI, HAVAÍ – William Dudley, o anterior presidente do Banco da Reserva Federal de Nova Iorque, mexeu recentemente num ninho de vespas quando apelou ao Fed que considerasse o impacto das suas políticas nas eleições presidenciais de 2020. Na verdade, Dudley prestou um relevante serviço público ao observar que a política do Fed pode influenciar a política, por vezes com implicações profundas para o rumo dos Estados Unidos. Mas isso não significa que as suas recomendações fossem certeiras.

A lógica de Dudley foi clara. Se o Fed baixar as taxas de juro em resposta às turbulentas acções de política comercial de Trump, o presidente poderá ser encorajado a recorrer a mais acções análogas. Trump acredita que os EUA e a China estão envolvidos numa guerra comercial até à morte. Mas também reconheceu que o mercado bolsista reage negativamente às suas ameaças de tarifas aduaneiras, que a incerteza relativa ao comércio enfraquece o crescimento, e que isso prejudica as suas hipóteses de reeleição.

A preocupação é que, caso o Fed flexibilize a política, minimizando assim o abrandamento do investimento e do crescimento induzido pela incerteza, Trump se sinta à vontade para intensificar os seus ataques comerciais contra a China. Como afirmou Dudley, o Fed deve “deixar perfeitamente claro que Trump assumirá as consequências dos seus actos”.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading, subscribe now.

Subscribe

Get unlimited access to PS premium content, including in-depth commentaries, book reviews, exclusive interviews, On Point, the Big Picture, the PS Archive, and our annual year-ahead magazine.

https://prosyn.org/ha4sTyxpt;