malaria testing Pius Utomi Ekpei/AFP/Getty Images

Acabar com a Malária

JEDDAH – Há muito que a malária é uma das doenças mais assassinas da nossa era. Dados da Organização Mundial de Saúde demonstram que metade da população mundial está em risco. Mas perto de 90% dos casos de malária e 92% das mortes por malária ocorrem apenas numa região: a África Subsaariana.

A Europa e a América do Norte vivem completamente livres de malária. Mas as crianças na África Subsaariana sofrem frequentemente episódios múltiplos da doença até atingirem os cinco anos de idade. E 70% das mortes relacionadas com a malária acontecem com crianças como menos de cinco anos. As mulheres grávidas que contraem a doença podem sofrer complicações graves de saúde.

A boa notícia é que a luta contra a malária tem ganho ímpeto ultimamente, com as infecções a diminuírem de forma constante na maior parte dos locais, e as mortes relacionadas com a malária a caírem 29% desde 2010. Este progresso pode ser parcialmente atribuído a inovações, nomeadamente a testes rápidos de diagnóstico que funcionam em minutos, a medicamentos anti-maláricos mais acessíveis e económicos, e ao uso crescente de redes mosquiteiras tratadas com insecticidas de longa duração (RILD). O maior envolvimento da comunidade também ajudou, com músicos populares, organismos de comunicação social e líderes religiosos a defenderem acções mais vigorosas contra a malária.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading, subscribe now.

Subscribe

Get unlimited access to PS premium content, including in-depth commentaries, book reviews, exclusive interviews, On Point, the Big Picture, the PS Archive, and our annual year-ahead magazine.

http://prosyn.org/SRg1SJW/pt;

Handpicked to read next

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.