A perigosa mitologia do cancro

GENEBRA – Este ano, o Dia Mundial do Cancro irá concentrar-se em dissipar os mitos prejudiciais sobre a doença. O tema - ilustrado no slogan “Cancro – Sabias que…?” - oferece uma oportunidade para reflectir nas verdadeiras consequências do cancro e melhorar os esforços globais na prevenção e no tratamento.

Um mito que prevalece é o de que o cancro é essencialmente um problema dos países desenvolvidos. Mas, embora seja verdade que o cancro infiltra-se nos países ricos, também é verdade que as pessoas dos países mais pobres do mundo perdem mais anos de vida devido à doença. Enquanto o avanço da medicina e os avanços tecnológicos têm ajudado os doentes com cancro, dos países com altos rendimentos, a viverem mais - na medida em que algumas formas de cancro têm-se tornado efectivamente condições crónicas - aqueles que vivem em países com baixos rendimentos continuam a morrer jovens.

Além de ser injusto, isto é profundamente trágico. Se já se conseguiu eludir doenças assassinas, como a malária e a SIDA, não se devia então morrer prematuramente de cancro - sobretudo com as formas de cancro que poderiam ter sido evitadas com algo tão simples e tão acessível como uma vacina.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To access our archive, please log in or register now and read two articles from our archive every month for free. For unlimited access to our archive, as well as to the unrivaled analysis of PS On Point, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/nN18aI9/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.