Facebook logo Sergei Konkov/Getty Images

Seis características da Era da Desinformação

MENLO PARK, CALIFÓRNIA – A preocupação sobre a proliferação da desinformação, da informação errada e da propaganda atingiu um tal ponto, que muitos governos começaram a propor legislação nova. Mas as soluções apresentadas reflectem um entendimento inadequado do problema, e podem ter consequências negativas imprevistas.

No passado mês de Junho, o parlamento alemão adoptou uma lei que inclui uma provisão para aplicar multas até 50 milhões de euros (59 milhões de dólares) a sítios populares, como o Facebook e o YouTube, se estes não removerem conteúdos “obviamente ilegais”, como discursos de promoção do ódio e incentivos à violência, no prazo de 24 horas. Singapura anunciou planos para implementação, no próximo ano, de legislação similar para lutar contra as “notícias falsas”.

Em Julho, o Congresso dos EUA aprovou um conjunto de sanções radicais contra a Rússia, em parte numa resposta ao seu alegado patrocínio de campanhas de desinformação destinadas a influenciar as eleições nos EUA. O diálogo entre o Congresso dos EUA e a Facebook, a Twitter e a Google intensificou-se nas últimas semanas, por terem surgido provas inequívocas de compras de anúncios de campanha por entidades Russas.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To read this article from our archive, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/d0CS6hp/pt;

Handpicked to read next

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.