madgavkar16_alistairgettyimages_homeofficezoom Alistair/Getty Images

A adesão ao comportamento econômico impulsionado pela pandemia

MUMBAI/SAN FRANCISCO – Quando o COVID-19 chegou, empresas, trabalhadores e consumidores rapidamente tiveram que se adaptar para continuar operando sob as restrições impostas pela pandemia. À medida em que as vacinas permitem a retomada de atividades mais “normais”, pelo menos em alguns países, até que ponto essas mudanças irão persistir é uma das questões mais urgentes que as empresas enfrentam.

Nossa pesquisa descobriu que a persistência das mudanças comportamentais induzidas pela pandemia dependerá de uma combinação de decisões corporativas e políticas governamentais, que por sua vez determinam as escolhas de consumidores e funcionários. Esses fatores nem sempre conspiram para manter as preferências do consumidor. Por exemplo, pesquisas indicam que 30-50% dos consumidores pretendem comprar produtos sustentáveis. Mas esses produtos normalmente respondem por menos de 5% das vendas globais, em parte porque as empresas cobram preços mais altos por eles e os governos não oferecem incentivos de compra.

Em contraste, a disrupção global desencadeada pelo COVID-19 criou uma perfeita tempestade em que algumas mudanças no comportamento do consumidor foram acompanhadas por mudanças nas operações comerciais e regulamentações governamentais. Muitos desses comportamentos de fato aceleraram práticas que eram promissoras antes da pandemia, mas não conseguiram ganhar força devido a preocupações com custos ou generalizado ceticismo. O vírus, ao criar uma oportunidade de experimentá-los, tornou seu valor muito mais aparente.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading, subscribe now.

Subscribe

or

Register for FREE to access two premium articles per month.

Register

https://prosyn.org/oxSubqBpt