Gestão de Conflitos e Crescimento Económico

NOVA DELI – Um dos aspectos mais interessantes da prolongada crise económica na Europa, e da ainda mais longa crise no Japão, é a ausência de um conflito social grave - pelo menos até agora. Sim, tem havido greves, marchas e uma raiva crescente dos líderes políticos, mas os protestos têm sido bastante pacíficos.

Embora isso possa mudar, o crédito para a paz social deve ir para instituições tal como as eleições (“derrubar os malandros” é uma forma não-violenta de desabafar a raiva popular), as legislaturas democráticas receptivas e os sistemas judiciais eficazes. Todas estas instituições têm conseguido mediar o conflito político, numa época de grande adversidade nos países avançados.

Isto sugere que um dos principais motivos para o subdesenvolvimento pode ser o facto de tais instituições, que permitem que os países lidem com a angústia, estarem em falta nas economias pobres. O crescimento económico propicia a que os conflitos entre os intervenientes sociais fiquem escondidos. Contudo, um declínio geralmente expõe ou agudiza a latente tensão social.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To continue reading, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you are agreeing to our Terms and Conditions.

Log in

http://prosyn.org/W7eHSZo/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.