Poor neighborhood Jakarta Anadolu Agency/Getty Images

A insegurança da desigualdade

NOVA IORQUE – A desigualdade global nos dias de hoje está ao mesmo nível da última que foi vivenciada no final do século XIX – e continua a aumentar. Com ela veio um crescente sentido de exclusão que tem alimentado a alienação e a raiva e que ainda desenvolveu o nacionalismo e a xenofobia. À medida que as pessoas lutam para manterem a sua fatia reduzida do bolo, a sua ansiedade criou uma abertura política para os populistas oportunistas, agitando a ordem mundial durante o processo.

O fosso entre ricos e pobres, nos nossos dias, é alucinante. Oxfam observou que as oito pessoas mais ricas do mundo possuem hoje tanta riqueza como as 3,6 mil milhões de pessoas mais pobres. Tal como o senador doas EUA, Bernie Sanders, recentemente salientou, a família Walton, proprietária da Walmart, possui neste momento mais riqueza do que 42% da população mais pobre dos EUA.

Posso referir a comparação dissonante que eu próprio encontrei. Ao utilizar o banco de dados de riqueza do Credit Suisse, descobri que a riqueza total das três pessoas mais ricas do mundo ultrapassa a riqueza de todas as pessoas em três países – Angola, Burkina Faso e República Democrática do Congo - que juntos têm uma população de 122 milhões de pessoas.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To read this article from our archive, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you are agreeing to our Terms and Conditions.

Log in

http://prosyn.org/AmtWoQ3/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.