Skip to main content

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated Cookie policy, Privacy policy and Terms & Conditions

gotmark1_Sen Li_Getty Images_hongkong Sen Li/Getty Images

O mundo e a ONU têm de reduzir o crescimento populacional

GOTEMBURGO/LONDRES – A 24 e 25 de Setembro, os líderes mundiais reunir-se-ão nas Nações Unidas, em Nova Iorque, para analisar a evolução no sentido da Agenda da ONU para 2030 e dos seus 17 Objectivos de Desenvolvimento Sustentável. Os ODS, que visam “acabar com a pobreza, proteger o planeta e garantir prosperidade para todos”, são louváveis, e resumem o tipo de mundo que muitos de nós desejam ver em 2030. Mas para que esta visão tenha alguma probabilidade de se materializar, os governos terão de adicionar um 18º objectivo: “Reduzir o crescimento populacional”.

Os desafios enfrentados hoje pela humanidade derivam essencialmente do excesso de consumo e do excesso de população. Porém, os legisladores frequentemente não consideram os dois factores em simultâneo, e em especial negligenciam grandemente o crescimento populacional.

O impacto humano total sobre o ambiente global é produto da dimensão da população e do consumo médio per capita. O Painel Intergovernamental da ONU sobre as Alterações Climáticas concluiu que o crescimento populacional e o crescimento económico (consumo) são as duas principais causas do aquecimento global. Os valores per capita do consumo de recursos e das emissões de gases com efeito de estufa são superiores nas economias desenvolvidas, enquanto o rápido crescimento populacional nos países em desenvolvimento contribui para a perda das florestas e da biodiversidade.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading, subscribe now.

Subscribe

Get unlimited access to PS premium content, including in-depth commentaries, book reviews, exclusive interviews, On Point, the Big Picture, the PS Archive, and our annual year-ahead magazine.

https://prosyn.org/0Fg0GuVpt;