A evolução do ensino na Europa

DUBLIN – A Europa está a braços com grandes desafios - demasiado grandes para que qualquer país os possa enfrentar. Num contexto de crise económica, de desemprego generalizado e de aumento da concorrência nas economias em desenvolvimento, a Europa tem de adaptar-se aos avanços tecnológicos e às novas modalidades de trabalho - tudo isto enquanto o envelhecimento da população coloca uma pressão crescente sobre os exauridos orçamentos públicos. Neste contexto de fragilidade, a União Europeia deve centrar-se no ensino com vista a promover o talento e potencial das pessoas e, consequentemente, estimular a recuperação económica e social.

O ensino é a chave não só para melhores empregos e para um crescimento mais forte do PIB, mas também para o desenvolvimento cultural, político e social que é necessário para garantir aos cidadãos a boa formação e solidez suficientes para liderar à escala local, nacional e internacional. Ao dar prioridade às políticas mais adequadas, os líderes da UE poderão assegurar que o ensino dos europeus lhes permitirá tornarem-se cidadãos globais articulados e fortes agentes económicos.

A boa notícia é que os líderes europeus parecem reconhecer o valor da procura de conhecimento. Aquando da atribuição de verbas do orçamento europeu para 2014-2020, os governos da UE decidiram sabiamente aumentar o financiamento destinado ao ensino e à investigação – sendo as únicas áreas onde o fizeram. Este compromisso de salvaguardar o financiamento destinado ao ensino e à investigação deverá reflectir-se na formulação de políticas a todos os níveis.

To continue reading, please log in or enter your email address.

Registration is quick and easy and requires only your email address. If you already have an account with us, please log in. Or subscribe now for unlimited access.

required

Log in

http://prosyn.org/59Sp7N1/pt;