Bloomberg/ Getty Images

Os Limites do Crescimento Verde

BERLIM – Nos últimos anos, tem vindo a ganhar força o impulso para a criação de uma “economia verde” que possa libertar o mundo da crise ambiental e económica contínua e assinalar o início de uma nova era de crescimento sustentável. Mas este impulso também tem sido fonte de inesperada controvérsia, com muitos a prever pouco mais do que o actual figurino económico, com uma demão de tinta verde. Será que a reconciliação dos imperativos ambientais e económicos vai ser mais difícil do que pensamos?

Numa palavra, sim. A percepção comummente aceite é que a economia verde permitir-nos-á libertar da nossa dependência relativamente aos combustíveis fósseis, sem sacrificar o crescimento. Muitos defendem que a mudança para uma economia verde poderá mesmo incentivar um novo crescimento. Mas, por muito atraente que seja esta ideia, não é realista, como mostramos no nosso novo livro, Inside the Green Economy.

Na verdade, é possível que uma economia genuinamente “verde” seja próspera. Mas o modelo que prevalece hoje concentra-se em soluções rápidas e fáceis. Além disso, reafirma a primazia dos aspectos económicos, sem conseguir reconhecer a profundidade da transformação necessária.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To read this article from our archive, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/9ejhXLL/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.