US President Donald Trump signs trade sanctions against China MANDEL NGAN/AFP/Getty Images

A confusão comercial de Trump

NOVA IORQUE – A escaramuça comercial entre os Estados Unidos e a China, sobre o aço, o alumínio e outras mercadorias, é produto do desdém que o presidente dos EUA, Donald Trump, devota aos acordos de comércio multilateral e à Organização Comercial do Comércio, uma instituição criada para dirimir litígios comerciais.

Antes de anunciar tarifas à importação sobre mais de 1300 tipos de mercadorias fabricadas na China, e avaliadas em cerca de 60 mil milhões de dólares por ano, no início de Março Trump revelou tarifas radicais de 25% sobre o aço e de 10% sobre o alumínio, que justificou baseando-se na segurança nacional. Trump insiste que uma tarifa sobre uma pequena fracção do aço importado (cujo preço é definido globalmente) chegará para resolver uma ameaça estratégica genuína.

A maioria dos especialistas, contudo, considera dúbia essa justificação. O próprio Trump já anulou a sua pretensão de segurança nacional, isentando a maioria dos principais exportadores de aço para os EUA. O Canadá, por exemplo, estará isento na condição de se conseguir uma renegociação bem-sucedida do Acordo de Comércio Livre Norte-Americano, na prática ameaçando o país até que ceda às exigências dos EUA.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To access our archive, please log in or register now and read two articles from our archive every month for free. For unlimited access to our archive, as well as to the unrivaled analysis of PS On Point, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/rHZhLaS/pt;

Handpicked to read next

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.