birth control Africa Jonathan Torgovnik/Getty Images

Falar sobre sexo no Gana

LABADI, GANA — A educação sexual e a saúde reprodutiva constituem uma questão política séria em muitos países ocidentais. Há eleições ganhas ou perdidas sobre temas como o aborto e os valores "familiares". No entanto, no Gana e em muitos outros países em desenvolvimento, o planeamento familiar é uma questão de vida e morte, especialmente para as mulheres jovens e adultas.

Há seis anos, quando eu era ainda uma adolescente a crescer num bairro da lata no sul do Gana, era normal ouvirem-se histórias de adolescentes que recorriam ao aborto; de raparigas de 14 anos que eram mães; e de homens de 18 anos que batiam nas suas namoradas pré-púberes porque se recusavam a lavar a roupa do seu parceiro. Ninguém numa posição de autoridade — como os pais ou os professores — parecia preocupado com o facto de as vítimas serem raparigas solteiras, frequentemente com idade inferior à "idade de consentimento".

Isto representava para mim o "normal". Muitas colegas abandonaram a escola após engravidarem. Outras morreram quando optaram por fazer um aborto em instalações sem licença.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To continue reading, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you are agreeing to our Terms and Conditions.

Log in

http://prosyn.org/vlfPUsZ/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.