PIK high-flux beam research reactor at the Konstantinov Institute of Nuclear Physics Peter Kovalev\TASS via Getty Images

Redescobrir a promessa da energia nuclear

OXFORD – Em 2015, na Conferência das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas, realizada em Paris, os líderes mundiais pareceram finalmente reconhecer a realidade sobre as alterações climáticas. Contudo, a resposta que defendem é fundamentalmente deficiente, dada a sua dependência das “fontes de energia renováveis” – nomeadamente: hidroeléctrica, solar, eólica e biocombustíveis - que prejudicam verdadeiramente a natureza. Ironicamente, a solução mais adequada a nível mundial para alcançar os objectivos do Acordo de Paris é contar com uma fonte de energia que é frequentemente demonizada: a energia nuclear.

A energia eléctrica produzida a partir da água, do vento ou dos raios solares não tem condições para fornecer, de forma fiável, a energia na escala necessária a uma economia moderna. Um quilograma de água de uma barragem com 100 metros de altura apenas tem capacidade para produzir 1/3.600 quilowatts-hora de energia. Um quilograma de carvão, por outro lado, produz cerca de 7 kW/h de energia - 20.000 vezes mais.

Assim sendo, um sistema hidroeléctrico teria de ser enorme para produzir a mesma quantidade de energia que um equivalente termoeléctrico a carvão, o que implica elevados custos do ponto de vista ambiental e humano. Para construir o maior projecto hidreléctrico existente - o dique das Três Gargantas, no Rio Yangtzé, que se estende por 600 quilómetros - 1,3 milhões de pessoas foram realojadas, na sequência de inundações em 13 cidades, 140 vilas e 1.350 aldeias.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To read this article from our archive, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles from our archive every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/5nd857t/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.