2

Fazer a paz na Colômbia

BOGOTÁ – Os colombianos estão perto de pôr termo ao mais antigo e único conflito armado que ainda persiste no mundo ocidental. Após mais de cinco anos de negociações com as FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), pode dizer-se que chegámos a uma fase irreversível, que irá pôr termo a mais de 50 anos de uma guerra cruel e dispendiosa.

Nas últimas cinco décadas, todos os meus antecessores tentaram chegar à paz com as FARC, o maior e mais antigo exército guerrilha da América Latina. Nenhum deles foi bem-sucedido. Se assim é, por que razão este processo de paz foi bem-sucedido?

Acima de tudo, porque se trata de um processo bem planeado e cuidadosamente executado, que teve início quando conseguimos reunir um conjunto de condições. Primeiro, foi necessário alterar a correlação de forças militares a favor do Estado colombiano. Depois, tivemos de convencer os líderes das FARC de que era do seu interesse pessoal próprio encetar negociações sérias e de que jamais conseguiriam alcançar os seus objectivos através da violência e do combate de guerrilha.

Por último, mas não menos importante, implementámos uma mudança radical na nossa política externa, o que conduziu a uma melhoria das relações com os nossos vizinhos e com o resto da região. Esta situação facilitou o seu apoio relativamente à nossa iniciativa e, por conseguinte, o início do processo de paz.