A verdade sobre a soberania

CAMBRIDGE – No recente debate sobre o tratado orçamental europeu, que teve lugar no Parlamento francês, o governo socialista de França negou veementemente que a ratificação do tratado iria minar a soberania francesa. O tratado não coloca “nenhuma coacção a nível da despesa pública”, afirmou Jean-Marc Ayrault, o primeiro-ministro. “A soberania orçamental permanece no parlamento da República Francesa”.

Enquanto Ayrault tentava tranquilizar os seus colegas cépticos, incluindo muitos membros do seu próprio partido, o comissário europeu responsável pela concorrência, Joaquin Almunia, distribuía uma mensagem semelhante aos seus colegas sociais-democratas, em Bruxelas. Para ter sucesso, argumentou, a Europa tem de provar aos que acreditam na existência de um conflito entre a globalização e a soberania, que estão errados.

Ninguém gosta de abrir mão da soberania nacional, muito menos, ao que parece, os políticos de esquerda. No entanto, ao negar o facto evidente de que a viabilidade da zona euro depende de restrições substanciais da soberania, os líderes europeus estão a enganar os seus eleitores, atrasando a europeização da política democrática e elevando os custos políticos e económicos do irrevogável resultado.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading, subscribe now.

Subscribe

Get unlimited access to PS premium content, including in-depth commentaries, book reviews, exclusive interviews, On Point, the Big Picture, the PS Archive, and our annual year-ahead magazine.

http://prosyn.org/hGptp60/pt;

Handpicked to read next

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.