achiri1_AMIR MAKARAFP via Getty Images_cyprus refugees AMIR MAKAR/AFP via Getty Images

Ajudar os requerentes de asilo no Chipre do Norte

NICÓSIA DO NORTE – Em 24 de maio de 2021, três requerentes de  asilo camaronenses deixaram o Norte do Chipre na tentativa de chegar ao sul. Eles tiveram seus pedidos de proteção negados, desencadeando condenação internacional generalizada, e ficaram presos em terra de ninguém durante quase sete meses depois que as autoridades cipriotas se recusaram a reconhecer seu pedido de asilo.

A situação deles foi causada em parte pela divisão de fato da ilha desde 1974. Cruzar a Linha Verde controlada pelas Nações Unidas, que separa a internacionalmente reconhecida República do Chipre (RdC) do Norte do Chipre - controlado pela Turquia (domínio declarado e reconhecido somente pela Turquia) -, é considerado ilegal se não for autorizado, mesmo para aqueles que buscam asilo.

As autoridades da RdC argumentaram que conceder asilo aos três camaroneses encorajaria outros a cruzar a Linha Verde e acusaram a Turquia de encorajar um influxo de refugiados da Síria e da África Subsaariana. Mas a realidade é mais complexa.

To continue reading, register now.

As a registered user, you can enjoy more PS content every month – for free.

Register

or

Subscribe now for unlimited access to everything PS has to offer.

https://prosyn.org/ccacFwrpt