A Viragem Nacionalista do Japão

TÓQUIO – O Japão tem estado ultimamente nas notícias, devido à sua disputa com a China sobre seis quilómetros quadrados de ilhotas áridas no Mar da China Oriental a que o Japão chama Senkakus e a China chama Ilhas Diaoyu. As pretensões rivais datam do final do século dezanove, mas o recente deflagrar, que levou a generalizadas manifestações anti-Japonesas na China, começou em Setembro, quando o governo do Japão adquiriu três das pequenas ilhotas ao seu proprietário privado japonês.

O Primeiro-Ministro Yoshihiko Noda afirmou que decidira comprar as ilhas para o governo central Japonês no sentido de prevenir que o Governador de Tóquio Shintaro Ishihara as comprasse com fundos municipais. Ishihara, que desde então abandonou o cargo para lançar um novo partido político, é bem conhecido pelas provocações nacionalistas, e Noda temia que ele tentasse ocupar as ilhas ou encontrar outros modos de usá-las que provocassem a China e recolhessem apoio popular no Japão. Altos funcionários Chineses, no entanto, não aceitaram a explicação de Noda, e interpretaram a compra como prova de que o Japão está a tentar perturbar o status quo.

Em Maio de 1972, quando os Estados Unidos devolveram a Prefeitura de Okinawa ao Japão, a transferência incluía as Ilhas Senkaku, que os EUA administravam a partir de Okinawa. Alguns meses depois, quando a China e o Japão normalizaram as suas relações após a II Guerra Mundial, o Primeiro-Ministro Japonês Kakuei Tanaka inquiriu o Primeiro-Ministro Chinês Zhou Enlai sobre as Senkakus, e foi-lhe dito que em vez de deixar que a disputa atrasasse a normalização, a questão deveria ser deixada para as gerações futuras.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading, subscribe now.

Subscribe

or

Register for FREE to access two premium articles per month.

Register

https://prosyn.org/e9Aoyjppt