O Ano Decisivo da Europa

BERLIM – A crise da zona euro, diz-se, terminou. A calma voltou aos mercados financeiros, entre garantias férreas das autoridades da União Europeia – especialmente do Banco Central Europeu – de que a união monetária será preservada. Mas as economias da Europa do Sul permanecem deprimidas, e o conjunto da zona euro sofre com crescimento estagnado, pressões deflacionárias e, nos países em crise, desemprego persistentemente elevado.

Não surpreende que, dada a óbvia incapacidade das autoridades da UE em resolver o mal-estar, muitos estados-membros estejam a perder a paciência com a austeridade. De facto, alguns países enfrentam uma convulsão política.

Quando a turbulência chegar, é provável que seja desencadeada – como foi a crise da zona euro – pela Grécia, onde se realiza uma eleição presidencial que não produzirá provavelmente qualquer vencedor. Se o parlamento Grego não eleger um novo presidente por uma maioria de dois terços, durante a terceira e última volta na próxima semana, será dissolvido e serão convocadas eleições antecipadas. O risco é que a Syriza, um partido socialista de extrema-esquerda, chegue ao poder.

To continue reading, please log in or enter your email address.

Registration is quick and easy and requires only your email address. If you already have an account with us, please log in. Or subscribe now for unlimited access.

required

Log in

http://prosyn.org/0nP8PLp/pt;