Paul Lachine

Egipto, o Pacificador?

TEL AVIV – Antes que as actuais lutas em Gaza entre Israel e o Hamas se intensifiquem ainda mais, tem que ser negociado um cessar-fogo. Claro que, como em cessar-fogos anteriores, qualquer trégua será certamente temporária, inevitavelmente contrariada pelas forças que perpetuam o conflito armado entre Israel e o Hamas. Não obstante, com a Síria consumida numa guerra civil e a instabilidade generalizada no Médio Oriente, um cessar-fogo é essencial tanto para salvar vidas como para preservar a actualmente difícil paz na região.

Muito depende do Egipto, que é o melhor colocado para arbitrar um acordo. Mas a avaliação das possibilidades de qualquer esforço diplomático requer um entendimento das perspectivas e das agendas dos protagonistas.

Israel não tem uma política global para Gaza. O antigo Primeiro-Ministro Ariel Sharon deu um passo corajoso ao retirar unilateralmente de Gaza e ao desmantelar os colonatos Israelitas na zona. Mas adoeceu antes que estas medidas pudessem ser incorporadas num esforço mais amplo de solucionamento da questão Palestiniana.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To access our archive, please log in or register now and read two articles from our archive every month for free. For unlimited access to our archive, as well as to the unrivaled analysis of PS On Point, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/7rbIq6a/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.