Janet Yellen Yin Bogu/ZumaPress

As razões pelas quais a Fed deveria adiar a subida das taxas

JACKSON HOLE, WYOMING – Como os bancos centrais de todo o mundo se reúnem esta semana em Jackson Hole para o Simpósio anual de Política Económica da Reserva Federal, um dos principais tópicos de discussão será a atual turbulência global do mercado de ações. Há muitas razões para esta agitação, mas a expectativa de que a Fed vai começar a aumentar as taxas de juros - talvez já em setembro - é claramente uma delas.

Os argumentos para uma subida das taxas são válidos. A economia dos Estados Unidos está a ganhar força. O Fundo Monetário Internacional prevê 3% de crescimento anual em 2015 e 2016, acompanhado de taxas de inflação de 0,1% e 1,5%, respetivamente. Quando uma economia está a normalizar, é razoável reduzirem-se as medidas expansionistas, tais como as introduzidas após a crise de 2008. Como a Fed comunicou claramente que irá optar gradualmente por políticas menos expansionistas, a sua credibilidade será prejudicada se não o fizer.

Mas há fortes razões para a Fed adiar o aumento das taxas de juros e manter a política monetária expansionista nos próximos trimestres. Para começar, a recuperação dos EUA permanece fraca. Historicamente, o crescimento de 3% durante uma recuperação está longe de ser impressionante. Em outras recuperações recentes, o crescimento atingiu muitas vezes os 4%, ou mesmo os 5%, quando o aumento da utilização da capacidade produtiva fez subir a produtividade e o investimento.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To continue reading, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you are agreeing to our Terms and Conditions.

Log in

http://prosyn.org/pShO7Ly/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.