tatic1_Andrey SuslovGetty Images_cms Andrey Suslov/Getty Images

Não comprem Bezosware

PRAGA – Quando se fala da saúde em declínio da comunicação social, a tecnologia tem sido vista simultaneamente como causa e como cura. Quando a Internet revolucionou o modelo das organizações noticiosas tradicionais em meados da década de 1990, as tecnologias posteriores (das redes sociais aos micro-pagamentos) criaram os alicerces de um novo modelo. Hoje, contudo, a inovação está novamente a ameaçar a saúde do jornalismo e, desta vez, os danos são em grande medida auto-infligidos.

As redacções modernas dependem de sistemas de gestão de conteúdos (SGC), que permitem aos jornalistas planear, escrever, editar e publicar conteúdos noticiosos. Porém, praticamente todos os jornalistas têm uma história de horror sobre o SGC da sua publicação. Há alguns anos, a revista de comércio electrónico Digiday reuniu alguns destes relatos, e pintou um quadro devastador de conteúdos perdidos e de tempo perdido. Nas palavras de um redactor, executar tarefas no SGC do seu editor “era uma porcaria”.

As grandes empresas de comunicação, especialmente a Vox Media e o Washington Post, vêem oportunidades no caos dos SGC, e estão agora a comercializar os seus próprios sistemas a outros. Porque é que estas organizações estão subitamente tão interessadas em vender as suas ferramentas internas a outras agências?

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading, subscribe now.

Subscribe

or

Register for FREE to access two premium articles per month.

Register

https://prosyn.org/8eDE6zipt