Margaret Scott

Ato de equilíbrio da Turquia

East Lansing, Michigan - A Turquia tornou-se, ao longo das últimas semanas, a ponta de lança de uma política ocidental-árabe-turca conjunta que visa forçar o presidente Bashar al-Assad a ceder o poder na Síria. Isto é uma grande reviravolta na política turca porque, nos últimos dois anos, o governo do primeiro-ministro Recep Tayyip Erdoğan desviou-se do seu caminho para cultivar boas relações com a vizinha Síria, com quem compartilha uma extensa fronteira terrestre.

Esta mudança de rumo na Síria também teve um custo para a Turquia em termos das suas relações com o Irão, o principal defensor do regime de Assad, que a Turquia tinha também cultivado como parte da política “zero problemas com os vizinhos” do ministro das Relações Exteriores Ahmet Davutoglu.

Dadas estas novas tensões, vale a pena relembrar que há apenas alguns meses, muitos líderes americanos estavam furiosos com o que consideravam ser a traição da Turquia. No seu entender, a Turquia tinha reorientado a sua política externa para o Médio Oriente muçulmano e afastado do Ocidente - uma mudança de posição que supostamente se reflete na deterioração das relações do país com Israel e no reforço dos laços com o Irão e a Síria.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To continue reading, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you are agreeing to our Terms and Conditions.

Log in

http://prosyn.org/XAraIP0/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.