A Ética da Indústria Alimentar

PRINCETON – No mês passado, a organização internacional de ajuda Oxfam lançou uma campanha denominada “Por detrás das Marcas.” O objectivo consiste em avaliar a transparência das dez maiores empresas industriais de alimentos e bebidas do mundo, relativamente ao modo como os seus bens são produzidos, e avaliar o seu desempenho em questões sensíveis como o tratamento dos pequenos agricultores, a utilização sustentável da água e das terras, as alterações climáticas, e a exploração das mulheres.

Os consumidores são eticamente responsáveis por estarem conscientes do modo como a sua comida é produzida, e as grandes marcas têm uma obrigação correspondente em serem mais transparentes a respeito dos seus fornecedores, para que os seus clientes possam fazer escolhas informadas sobre o que estão a comer. Em muitos casos, as maiores companhias de alimentação desconhecem, elas próprias, como se portam nestas matérias, reflectindo uma profunda falta de responsabilidade ética da sua parte.

A Nestlé teve os melhores resultados relativamente à transparência, já que fornece informação sobre pelo menos algumas das suas fontes de matérias-primas e dos seus sistemas de auditoria. Mas até o seu desempenho é apenas “suficiente.” A General Mills aparece no fim da lista.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading, subscribe now.

Subscribe

Get unlimited access to PS premium content, including in-depth commentaries, book reviews, exclusive interviews, On Point, the Big Picture, the PS Archive, and our annual year-ahead magazine.

http://prosyn.org/hhzccxQ/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.