Reformar o equilíbrio do mercado da China

PEQUIM – Nos registos da História, não há nenhum país que tenha crescido tão depressa - e tenha retirado o maior número de pessoas da pobreza - como a China ao longo dos últimos trinta anos. O traço distintivo do sucesso da China tem sido a vontade dos seus líderes de reverem o modelo económico do país quando e conforme necessário, apesar da oposição de poderosos direitos adquiridos. E agora, à medida que a China implementa outra série de reformas fundamentais, tais direitos já estão a alinhar-se para resistirem. Podem os reformistas triunfar novamente?

Em resposta a esta questão, o ponto crucial a ter em mente é que, tal como no passado, a actual ronda de reformas irá reestruturar não só a economia, mas também os direitos adquiridos que irão moldar as reformas futuras (e até mesmo determinar se são possíveis). E hoje, enquanto as iniciativas de alto nível - por exemplo, o alargamento da campanha anti-corrupção do governo - recebem muita atenção, a questão mais profunda que a China enfrenta diz respeito às funções apropriadas do Estado e do mercado.

Quando a China iniciou as suas reformas, há mais de três décadas, o rumo era claro: o mercado precisava de desempenhar um papel muito maior na atribuição de recursos. E assim foi, com o sector privado muito mais importante agora do que era. Além disso, há um amplo consenso de que o mercado precisa de desempenhar, o que as autoridades chamam de, um “papel decisivo” em muitos sectores onde as empresas estatais (SOEs) dominam. Mas qual deveria ser o seu papel noutros sectores, e na economia em geral?

To continue reading, please log in or enter your email address.

To access our archive, please log in or register now and read two articles from our archive every month for free. For unlimited access to our archive, as well as to the unrivaled analysis of PS On Point, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/X1CnoMz/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.