Obama no Mundo Novo de Israel

PARIS – Será que agora que Benjamim Netanyahu formou um novo governo israelita, sem um caleidoscópio vertiginoso de possíveis permutas pós-eleitorais, a política do país virou-se para o centrismo? O Presidente dos EUA, Barack Obama estaria errado ao pensar assim quando se prepara para a sua primeira visita oficial.

O inesperado segundo lugar do novo partido Yesh Atid liderado por Yair Lapid (“Há um Futuro”) nas eleições que ocorreram recentemente, alterou certamente a abordagem do governo: os dois principais partidos ortodoxos, o Shas e o United Torah Judaism, estão afastados, enquanto os dois pequenos partidos centristas, o Kadima e o Hatnua, estão com a popularidade em alta. Mas os que suspiraram de alívio com o enfraquecimento do partido Likud de Netanyahu, e dos partidos de extrema-direita do país, devem estar mais ansiosos do que nunca.

As negociações políticas de bastidores acabaram, por enquanto, e o resultado parece assegurado. Netanyahu irá regressar como primeiro-ministro e cada partido - no poder ou não - está pronto para bloquear, enfraquecer ou dissimular quaisquer políticas que o novo governo consiga adoptar. Em Israel, a questão que hoje se coloca não é se o centrismo irá continuar, mas se tem importância.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To continue reading, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you are agreeing to our Terms and Conditions.

Log in

http://prosyn.org/TTaB9z1/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.