0

A Grande Convergência da Saúde Global

SÃO FRANCISCO – O mundo encontra-se num ponto único de inflexão histórica. Se tornarmos universalmente disponíveis os medicamentos, vacinas e outros instrumentos de saúde actuais – e reforçarmos os esforços de investigação para desenvolver os instrumentos de saúde de amanhã – poderemos ultrapassar a disparidade sanitária entre os países abastados e os países pobres no espaço de uma geração. Em 2035, poderemos atingir uma “grande convergência” na saúde global, reduzindo as mortes maternas e infantis evitáveis, incluindo as causadas por doenças infecciosas, a níveis baixos e sem precedentes em todo o mundo. O que é necessário é uma estratégia de investimento, coordenada e orientada para o futuro.

Um grupo de 25 peritos em saúde global e economia (onde nos incluímos) reuniu-se recentemente para desenvolver essa estratégia. Num processo que durou um ano, o grupo identificou as ferramentas, sistemas e financiamentos que seriam necessários para atingir a convergência global na saúde, e produziu o Global Health 2035 – um ambicioso modelo de investimento que poderá salvar milhões de vidas e incentivar o bem-estar humano, a produtividade, e o crescimento económico.

Com um aumento agressivo nos investimentos em saúde, poderiam ser salvas dez milhões de vidas todos os anos, a partir de 2035. E o retorno económico seria enorme: cada dólar investido em países de baixo e médio rendimento (PBMR) para alcançar esta grande convergência teria um retorno entre 9 a 20 dólares.

A consecução deste objectivo exigirá um compromisso global, que garanta o acesso de todos às poderosas tecnologias e serviços de saúde actuais, como vacinas infantis, tratamento para o VIH/SIDA e tuberculose, e cuidados pré-natais para mulheres grávidas. Também obrigará ao aumento do financiamento para o desenvolvimento e implementação de novos instrumentos de saúde, que corrijam as condições que matam de modo desproporcionado as mulheres e as crianças dos PBMR.