Laura Kane/Flickr

A Rotina da Crise Europeia

BERKELEY – Este mês marca o quarto aniversário do resgate financeiro à Grécia de Maio de 2010. Anteriormente, a ideia de que um membro da zona euro recorreria a uma assistência de emergência do Fundo Monetário Internacional, juntamente com a Comissão Europeia e o Banco Central Europeu, era impensável. Desta forma, o resgate marcou a descida da Europa a uma crise plena.

Quatro anos mais tarde, os funcionários Europeus asseguram a toda a gente que a crise acabou. O FMI aumentou a sua previsão para o crescimento da zona euro este ano para 1,2%. Até a Grécia se prevê que cresça uns modestos mas não insignificantes 0,6%.

Também os mercados de títulos, indicam que a crise acabou. A rendibilidade das obrigações do governo Irlandês caiu abaixo dos 3%. No mês passado, Portugal podia emitir obrigações a dez anos a uma taxa de 3,57%. Até a Grécia pôde vender obrigações a cinco anos com índices abaixo dos 5%.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To read this article from our archive, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/IKlAsup/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.