Paul Lachine

Obama, o Europeu?

WASHINGTON – Barack Obama iniciou o seu segundo mandato como Presidente dos EUA com um discurso inaugural que apresentou uma visão de conjunto do governo Americano. Na Europa, a reacção predominante destaca que, nas entrelinhas, o autoproclamado primeiro “presidente do Pacifico” Americano proferiu o discurso inaugural mais “Europeu” dos últimos tempos.

O discurso de Obama não abraçou apenas os princípios fundamentais da social-democracia como esta é entendida na Europa, mas proclamou também uma nova era do envolvimento Americano em questões de governação global. Mas, e não obstante o Euro-entusiasmo de Obama, permanecem questões válidas relativas à política externa da sua administração.

Em conjunto com referências frequentes aos princípios fundadores da América e às pedras de toque da história dos EUA, Obama apresentou uma visão da sociedade, do governo, e das relações externas com as quais a maioria dos Europeus pôde identificar-se, incluindo referências explícitas aos direitos das mulheres e, pela primeira vez num discurso desta categoria, aos direitos dos homossexuais.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To access our archive, please log in or register now and read two articles from our archive every month for free. For unlimited access to our archive, as well as to the unrivaled analysis of PS On Point, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/cipsaLL/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.