A Crise das Humanísticas

NOVA IORQUE – Está a emergir uma simetria surpreendente dos debates sobre o futuro do ensino superior em todo o mundo. Por um lado, há uma preocupação crescente que os Estados Unidos e muitos países Europeus estejam a falhar na preparação de suficientes licenciados nos campos que impulsionam a “economia do conhecimento” do século vinte e um, como as engenharias e a tecnologia de informação. Este receio levou a um estreitamento do conceito de educação, tornando-o sinónimo de aquisição de competências práticas.

Por outro lado, a preocupação em algumas partes da Ásia é que os jovens que entram no mundo do trabalho com uma forte formação técnica não tenham experiência suficiente de “pensar fora da caixa”. Este receio manifesta-se num esforço incipiente de expansão da educação, de modo a incluir o cultivo do sentimento e da imaginação.

Ambos os movimentos têm raízes em preocupações económicas. Nos EUA, onde a maior parte dos licenciados suportam pelo menos parte do custo da sua educação universitária, cresce a pressão política para fornecer incentivos, como descontos em propinas ou perdão de empréstimos, aos estudantes de Ciência, Tecnologia, Engenharia, ou Matemáticas (as chamadas áreas CTEM). Medidas de contenção de custos, como a compressão das tradicionais licenciaturas de quatro anos em três anos – reduzindo ou eliminando desse modo cursos opcionais em temas “pouco práticos” como a literatura, a filosofia, e as belas-artes – estão também a ser discutidas.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To read this article from our archive, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/Aodyl1s/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.