pei73_TPGGetty Images_alibaba TPG/Getty Images

A cruzada pró e antimonopólio da China

CLAREMONT, CALIFÓRNIA – A investigação antimonopólio recentemente lançada pelo governo chinês contra a Alibaba é, provavelmente, justificada. A gigante do comércio eletrónico tem, sem dúvida, uma participação dominante no mercado e envolve-se em práticas monopolistas, tais como forçar os comerciantes a torná-la o seu distribuidor online exclusivo, caso contrário são retirados das suas plataformas. Mas outras empresas chinesas de comércio eletrónico têm a mesma regra e há monopolistas piores na China do que a Alibaba. Então, porque é que a Alibaba é o alvo?

Uma das aparentes infrações da Alibaba é a expansão dos serviços financeiros oferecidos pela sua afiliada, a gigante da tecnologia financeira Ant Group, dona da Alipay. Além de ser a aplicação para pagamentos mais popular do mundo, com 730 milhões de utilizadores por mês, a Alipay permite que os consumidores invistam, comprem seguros e garantam empréstimos na sua plataforma.

No passado mês de outubro, a empresa Ant Group estava prestes a lançar uma oferta pública inicial (IPO) histórica de 34 mil milhões de dólares. Mas as autoridades chinesas interromperam abrutamente o processo, o que foi retratado como uma tentativa prudente de limitar o poder de mercado exorbitante da empresa. A decisão de bloquear a IPO veio, alegadamente, diretamente do presidente Xi Jinping.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading, subscribe now.

Subscribe

or

Register for FREE to access two premium articles per month.

Register

https://prosyn.org/0olx6shpt