Porque Deve a Alemanha Liderar ou Sair

NOVA IORQUE – A Europa está em crise financeira desde 2007. Quando a bancarrota do Lehman Brothers pôs em perigo o crédito das instituições financeiras, o crédito privado foi substituído pelo crédito soberano, revelando uma falha não reconhecida no euro. Ao transferir o seu direito de emitir moeda para o Banco Central Europeu (BCE), os países membros expuseram-se ao risco de incumprimento, como se se tratassem de países do Terceiro Mundo altamente endividados numa moeda estrangeira. Os bancos comerciais que detinham grandes quantidades de títulos do tesouro dos países mais fracos tornaram-se potencialmente insolventes.

Existe um paralelo entre a actual crise do euro e a crise bancária internacional de 1982. Na altura, o Fundo Monetário Internacional salvou o sistema bancário global ao emprestar dinheiro suficiente a países altamente endividados; o incumprimento foi evitado, mas ao custo de uma depressão prolongada. A América Latina perdeu uma década.

Hoje a Alemanha desempenha o mesmo papel que o FMI desempenhou na altura. O cenário difere, mas o efeito é o mesmo. Os credores estão a transferir todos os encargos do ajuste para os países devedores e a evitar a sua própria responsabilidade.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To access our archive, please log in or register now and read two articles from our archive every month for free. For unlimited access to our archive, as well as to the unrivaled analysis of PS On Point, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/0QY4Kad/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.