Os Banqueiros Foram os Culpados?

NOVA DELHI – Poucas áreas da actividade económica nos Estados Unidos são mais politizadas que o financiamento à aquisição de habitação própria. E no entanto a esquerda intelectual não tem poupado esforços para absolver os reguladores, os programas governamentais de apoio ao crédito, e agências como o Fannie Mae e o Freddie Mac de qualquer responsabilidade pela bolha imobiliária e pela crise subsequente.

O raciocínio é simples: se estes funcionários, instituições e políticas fossem responsabilizados, a agenda reformista deveria transitar necessariamente da questão da regulação sobre banqueiros gananciosos e os bónus que auferem para perguntas mais genéricas. Poderão as iniciativas governamentais contribuir para o mau comportamento dos agentes privados? Poderemos confiar que os reguladores estabeleçam compromissos apropriados entre estabilidade financeira e iniciativas que gozem de apoio político alargado? Na verdade, poderão os banqueiros centrais ser verdadeiramente independentes? Não questionar a aceitação de um maior papel governamental na domesticação dos mercados daria, em suma, azo a perguntar se esse papel não poderá por vezes ser parte do problema.

A esquerda tem tido uma tarefa facilitada no que diz respeito ao domínio do debate, em parte porque a tentativa da direita intelectual de colocar toda a culpa da crise no governo é completamente implausível. É muito mais defensável e correcto argumentar que todos – banqueiros, famílias, reguladores, e políticos – contribuíram para (e aproveitaram-se de) a bolha enquanto durou, apenas para se acusarem uns aos outros quando rebentou.

To continue reading, please log in or enter your email address.

Registration is quick and easy and requires only your email address. If you already have an account with us, please log in. Or subscribe now for unlimited access.

required

Log in

http://prosyn.org/JteWwC8/pt;