Paul Lachine

A diplomacia e os duplos padrões

CAMBERRA – Desde quando é que a cautela diplomática e o realismo adequados se tornaram na indefensável abdicação dos padrões morais? Nem todos os que estão na linha da frente da política externa se preocupam, mas aqueles que o fazem enfrentam, muitas vezes, escolhas profundamente desconfortáveis.

Negociar uma paz para salvar vidas, pode significar conceder amnistia ao culpado sanguinário. Viver com a tirania pode oferecer menos riscos de vida do que abraçar a anarquia. Acalmar uma situação volátil pode significar não denunciar publicamente um comportamento que clama pela condenação. Fazer a escolha certa é mais difícil no mundo real do que dentro de uma sala de aula de filosofia.

Mas às vezes a linha é realmente atravessada, todos os intervenientes relevantes sabem disso, e as consequências são potencialmente profundas.A incapacidade dos Estados Unidos até agora para deixar de fornecer a sua ajuda militar ao Egipto, em resposta ao massacre de centenas de simpatizantes da Irmandade Muçulmana por parte do regime, nas ruas e nas prisões, é o caso recente mais claro que se podia encontrar.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To continue reading, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you are agreeing to our Terms and Conditions.

Log in

http://prosyn.org/wE1diny/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.