Preparar os homens homossexuais para a profilaxia de pré-exposição

LONDRES – Em Outubro, dois grupos que se dedicavam à investigação da eficácia de um potencial medicamento inovador na luta contra o VIH fizeram algo pouco comum. Anunciaram que a terapia que estavam a testar, um medicamento anti-retroviral denominado Truvada, se revelara suficientemente eficaz para permitir a conclusão antecipada das fases aleatórias dos ensaios, e que o medicamento estava a ser fornecido a todos os participantes dos estudos.

Os investigadores concluíram que os homens homossexuais que tomavam o Truvada e, além disso, usavam preservativo durante as relações sexuais, tinham uma probabilidade bastante mais reduzida de contrair o VIH. Trata-se de mais uma prova da eficácia da profilaxia de pré-exposição (PrEP), uma técnica mediante a qual as pessoas que não são seropositivas usam medicamentos anti-retrovirais para se protegerem da infecção pelo VIH. Em 2011, um ensaio financiado pela Gates Foundation concluiu que os casais heterossexuais que tomavam o Truvada reduziram em 73% o risco de transmissão do VIH.

Assim, as pessoas que lutam para impedir a propagação do VIH/SIDA dispõem de uma nova ferramenta. A questão agora é saber a melhor forma de fazê-la chegar aos que dela mais necessitam: os homens homossexuais dos países em desenvolvimento.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To access our archive, please log in or register now and read two articles from our archive every month for free. For unlimited access to our archive, as well as to the unrivaled analysis of PS On Point, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/YgdYP95/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.