May at Downing St Stefan Rosseau/PA Images

Alinhar o Ocidente por um mundo incerto

LONDRES –Em 2016, o Reino Unido tomou a decisão de peso de sair da União Europeia (UE), Donald Trump foi eleito Presidente dos Estados Unidos da América e muitos países europeus continuaram a debater-se com desafios internos. A UE sente-se menos estável do que em qualquer outro momento da minha vida.

Há forças comuns que nos conduziram a este lugar perigoso, e é mais importante do que nunca que as democracias desenvolvidas se unam para fazer face a essas forças. Infelizmente, sucede exactamente o contrário. Justamente quando o Ocidente precisa de alinhamento entre os EUA, o Reino Unido, e a UE, as políticas nacionais estão a tentar dividi-lo.

A Europa enfrenta três grandes desafios. O primeiro é o Brexit, o maior evento da política britânica numa geração. Muitos pensam que a saída da UE é um erro; contudo, foi essa a decisão de mais de metade daqueles que votaram e, por conseguinte, agora temos de dar-lhe execução. Não será fácil. Traduzir a votação em política será como desactivar uma bomba: determinar quais os fios a cortar exigirá muito cuidado.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To access our archive, please log in or register now and read two articles from our archive every month for free. For unlimited access to our archive, as well as to the unrivaled analysis of PS On Point, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/aWeeWdm/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.