Protest in Caracas against the government of President Nicolas Maduro Juan Barreto/Getty Images

Morte ou democracia na Venezuela

CARACAS – As instituições democráticas da Venezuela estão em ruínas, os seus cofres estão vazios e os seus cidadãos procuram alimentos em contentores de lixo. As pessoas estão a morrer de fome, de doenças evitáveis e curáveis (a uma taxa muito mais elevada do que a média latino-americana) e por causa da violência – incluindo, em alguns casos, ferimentos de bala infligidos pelo próprio governo.

Mais de três quartos dos 31 milhões de cidadãos da Venezuela querem libertar-se do domínio dos seus governantes, um pequeno grupo de mais de 150 elementos mafiosos (principalmente militares) que sequestraram a democracia do país, depauperaram-na e criaram uma devastadora crise humanitária. O regime de 18 anos – estabelecido por Hugo Chávez e agora liderado pelo Presidente Nicolás Maduro – prefere manter todo o país inteiro do que perder poder e eventualmente, ter de responder por crimes contra a humanidade no Tribunal Penal Internacional. Mas quanto tempo poderá durar?

Os venezuelanos procuraram activamente uma mudança de governo. Nas eleições parlamentares de Dezembro de 2015, dois terços dos eleitores apoiaram a oposição democrática. Esse resultado deveria ter tornado mais brando o controlo do regime sobre o Estado e ajudado a restabelecer os pesos e contrapesos previstos na Constituição que o próprio Chávez elaborou.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To read this article from our archive, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/KKWNbmb/pt;

Handpicked to read next

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.