Venezuela opposition protest Federico Parra/Getty Images

Choramos por ti, Venezuela

BOGOTÁ – Até recentemente, a Venezuela – a terra natal de Simón Bolívar, o Libertador – era um país livre e consideravelmente abastado, que se gabava de ter as maiores reservas comprovadas de petróleo do mundo e um povo maravilhoso. Atraiu milhões de migrantes colombianos, que tentavam escapar da violência da guerra contra os guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC). Esses papéis estão actualmente a ser invertidos: ao mesmo tempo que termina a guerra de 50 anos da Colômbia contra as FARC, a Venezuela está a desmoronar-se economicamente, socialmente e politicamente.

A Colômbia é o país que mais tem a perder com a crise que aflige a república nossa vizinha e irmã. De facto, os nossos países estão unidos por todas as ligações possíveis: históricas, culturais, económicas, e geográficas, com mais de 2 000 quilómetros de fronteira partilhada.

Na Colômbia temos sempre esperança que a Venezuela prospere. É por isso que nós, juntamente com muitos outros estados e líderes mundiais, incluindo o Vaticano e o próprio Papa Francisco, estamos a fazer todos os possíveis para encorajar tanto o governo da Venezuela, liderado pelo presidente Nicolás Maduro, como a oposição, a alcançarem uma solução honrosa para a crise.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To access our archive, please log in or register now and read two articles from our archive every month for free. For unlimited access to our archive, as well as to the unrivaled analysis of PS On Point, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/fN8IXq5/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.