zhang50_MicroStockHubGetty Images_chinaUS MicroStockHub/Getty Images

O que pode explicar o antagonismo dos EUA em relação à China?

XANGAI – No mês passado, o Comitê de Relações Exteriores do Senado dos Estados Unidos manteve oficialmente a Lei da Concorrência Estratégica de 2021, que classifica a China como concorrente estratégico em várias áreas, incluindo comércio, tecnologia e segurança. Com o apoio dos dois partidos – extremamente raro nos Estados Unidos hoje em dia – o Congresso provavelmente aprovará o projeto de lei e o presidente Joe Biden o sancionará. Com isso, o antagonismo dos EUA em relação à China se tornaria efetivamente consignado na lei dos EUA.

A Lei da Concorrência Estratégica pretende destacar os supostos “comportamentos malignos” em que a China se envolve para obter uma “injusta vantagem econômica” e a “deferência” de outros países a “seus objetivos políticos e estratégicos”. Na verdade, o projeto diz muito mais sobre os próprios Estados Unidos – e é muito pouco lisonjeiro – em relação ao que faz sobre a China.

Os EUA costumavam ter uma visão otimista do desenvolvimento econômico da China, reconhecendo as oportunidades lucrativas que isso representava. Mesmo após o surgimento da China como potência política e econômica, sucessivos governos dos EUA geralmente consideravam a China como parceiro estratégico, ao invés de concorrente.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading, subscribe now.

Subscribe

or

Register for FREE to access two premium articles per month.

Register

https://prosyn.org/sc8Xp1Fpt