Margaret Scott

O Gambito Curdo de Erdoğan

ISTAMBUL – O conflito no Médio Oriente ameaça não apenas a segurança de muitos dos seus estados, mas também a sua existência continuada. Síria, Iraque, Líbano, e outros, agora dominados por lutas sectárias, arriscam fragmentar-se em pequenos subestados étnicos, transformando uma região cuja geografia política foi desenhada há quase um século.

Analisando a situação regional, o Primeiro-Ministro Turco Recep Tayyip Erdoğan concebeu um plano audacioso para reforçar a presença regional da Turquia e estender o seu próprio domínio político interno. Enfrentando o fim de um auto-imposto limite de três mandatos como primeiro-ministro, ele pretende mudar a constituição Turca para introduzir um sistema presidencial – consigo à cabeça como o primeiro incumbente a exercer poder mais alargado.

O plano de Erdoğan, porém, depende da conclusão do conflito de 30 anos da Turquia com a sua própria população Curda. Como resultado, o governo de Erdoğan decidiu-se por negociações com Abdullah Ocalan, o líder detido do Partido dos Trabalhadores Curdos (PKK), o movimento armado de resistência Curda.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading, subscribe now.

Subscribe

Get unlimited access to PS premium content, including in-depth commentaries, book reviews, exclusive interviews, On Point, the Big Picture, the PS Archive, and our annual year-ahead magazine.

http://prosyn.org/TERysKu/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.