Margaret Scott

O Gambito Curdo de Erdoğan

ISTAMBUL – O conflito no Médio Oriente ameaça não apenas a segurança de muitos dos seus estados, mas também a sua existência continuada. Síria, Iraque, Líbano, e outros, agora dominados por lutas sectárias, arriscam fragmentar-se em pequenos subestados étnicos, transformando uma região cuja geografia política foi desenhada há quase um século.

Analisando a situação regional, o Primeiro-Ministro Turco Recep Tayyip Erdoğan concebeu um plano audacioso para reforçar a presença regional da Turquia e estender o seu próprio domínio político interno. Enfrentando o fim de um auto-imposto limite de três mandatos como primeiro-ministro, ele pretende mudar a constituição Turca para introduzir um sistema presidencial – consigo à cabeça como o primeiro incumbente a exercer poder mais alargado.

O plano de Erdoğan, porém, depende da conclusão do conflito de 30 anos da Turquia com a sua própria população Curda. Como resultado, o governo de Erdoğan decidiu-se por negociações com Abdullah Ocalan, o líder detido do Partido dos Trabalhadores Curdos (PKK), o movimento armado de resistência Curda.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To access our archive, please log in or register now and read two articles from our archive every month for free. For unlimited access to our archive, as well as to the unrivaled analysis of PS On Point, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/TERysKu/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.