Enoch Powelll Mirrorpix

Trump antes de Trump

BERKELEY — Compreender o sucesso político de Donald Trump, o Presidente eleito dos EUA, não é fácil. Houve muitas comparações loquazes com políticos populistas do passado, desde Huey Long até George Wallace. Mas a comparação mais reveladora pode ser com uma figura histórica de outro país: o instigador nativista britânico Enoch Powell no final da década de 1960 e início da década de 1970.

À primeira vista, a comparação pode parecer bizarra. Powell vinha de uma família da classe média baixa. Era um académico clássico de verdadeira erudição e um homem de princípios. Era, além disso, um membro político, tendo sido deputado ao Parlamento desde 1950 e tendo assumido o cargo de Ministro-adjunto para a habitação no governo do Primeiro-Ministro Anthony Eden em 1955.

Ainda assim, os paralelismos com Trump são inegáveis. No célebre discurso "Rios de Sangue" que proferiu em 1968, Powell, um hábil orador, abandonou com determinação a corrente política dominante. Condenou a imigração e denunciou a Lei das Relações Raciais de 1968, que proibia a discriminação em matéria de habitação, emprego e empréstimos. A passagem que deu nome ao seu discurso controverso aludia a motins nas cidades do interior dos Estados Unidos e invocava Virgílio: «Tal como os romanos, parece-me ver "o rio Tibre com muito sangue".»

To continue reading, please log in or enter your email address.

To access our archive, please log in or register now and read two articles from our archive every month for free. For unlimited access to our archive, as well as to the unrivaled analysis of PS On Point, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/ylEQhD4/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.