A Luta de Sheryl Sandberg

NOVA IORQUE – Será que é sempre ofensivo aconselhar as mulheres a mudarem algo em si para garantir que consigam alcançar os seus objectivos? Sugerir a uma mulher a necessidade de qualquer tipo de auto-análise é como caminhar sobre um campo minado; o mais seguro é pedir que se mantenha o foco apenas no combate à discriminação de género, que é bem real. Mas por vezes é necessário atravessar o campo minado.

Sheryl Sandberg, directora operacional do Facebook, fez algo que requer bastante coragem. Escreveu um manifesto sobre o acto de "quebrar o tecto de vidro", intitulado Lean In: Women, Work, and the Will to Lead (Aproxime-se: As Mulheres, o Trabalho e a Vontade de Liderar, ndt.), que está a ser alvo de fortes ataques, uma vez que refere que, muitas vezes, as mulheres se subvertem a si mesmas.

Os críticos atacam Sandberg, alegando que a autora do manifesto está a atribuir a culpa às vítimas. Anne-Marie Slaughter, que, no ano passado, escreveu um artigo bastante lido sobre o tecto de vidro, procurou encetar um debate aberto com o objectivo de identificar onde residem os problemas. Outros, infelizmente, atacam ad feminam: Sandberg é rica e poderosa, então de que forma poderá o seu conselho ser útil às mulheres que se debatem com dificuldades e são mal remuneradas?

To continue reading, please log in or enter your email address.

To access our archive, please log in or register now and read two articles from our archive every month for free. For unlimited access to our archive, as well as to the unrivaled analysis of PS On Point, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/PZBxR8P/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.