Felixstowe UK Peter Macdiarmid/Getty Images

Verdades comerciais para apoiantes de Trump e do Brexit

LONDRES – Eis um banho de realidade para os decisores Britânicos e Americanos, e para os inúmeros especialistas que frequentemente comentam sobre o comércio internacional sem compreenderem as suas realidades: os dados relativos às exportações e importações totais da Alemanha em 2016 indicam que o seu maior parceiro comercial é agora a China. A França e os Estados Unidos foram empurrados para o segundo e terceiro lugares.

Esta notícia não deveria surpreender. Já por várias vezes referi que, em 2020, as empresas (e os decisores) da Alemanha poderão preferir uma união monetária com a China em vez de uma união monetária com a França, dado que o comércio entre a Alemanha e a China continuaria provavelmente a crescer.

E foi o que aconteceu, principalmente devido às exportações chinesas para a Alemanha. Mas as exportações alemãs para a China também têm aumentado. Apesar de um abrandamento recente, a Alemanha poderá em breve exportar mais para a China do que para a sua vizinha e parceira França, e já exporta para a China mais do que exporta para Itália. Para os exportadores alemães, a França e o Reino Unido são os únicos mercados nacionais Europeus maiores do que a China.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading, subscribe now.

Subscribe

Get unlimited access to PS premium content, including in-depth commentaries, book reviews, exclusive interviews, On Point, the Big Picture, the PS Archive, and our annual year-ahead magazine.

http://prosyn.org/NR2xObb/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.