Economia de acesso aberto

CAMBERRA – A confusão que se gerou à volta do artigo de Carmen Reinhart e Kenneth Rogoff “Growth in a Time of Debt” pode ser a controvérsia académica mais intempestiva e conspícua desde 1974, quando dois economistas anteriores, Robert Fogel e Stanley Engerman, publicaram o conhecido livro, Time on the Cross, onde defendiam a eficiência da escravatura americana.

Tal como aconteceu com o Time on the Cross, a controvérsia Reinhart/Rogoff, embora aparentemente decorrente dos procedimentos estatísticos dos autores, está realmente enraizada nos propósitos para os quais os outros colocam o seu estudo.

Alguns dos resultados apresentados por Fogel e Engerman foram utilizados - e não pelos próprios autores, importa referir - para desafiar a acção afirmativa e questionar o movimento dos direitos civis. Da mesma forma, alguns dos resultados relatados por Reinhart e Rogoff têm sido utilizados pelos políticos e outros para justificarem a austeridade fiscal.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To read this article from our archive, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles from our archive every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/gWjmNdH/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.