Pedro Molina

O Génio Químico da Síria

LOS ANGELES – Desde que eclodiu a guerra civil na Síria, o enorme arsenal de armas químicas do país tem atormentado a zona de conflito, e não só. Israel vem agora afirmar que o regime sírio utilizou armas químicas.

O receio crescente levou o presidente dos EUA, Barack Obama, a declarar repetidamente que, se a Síria utilizar ou transferir armas químicas, estará a transpor uma "linha vermelha", facto pelo qual o regime do presidente Bashar al-Assad será "responsabilizado". Mas as implicações práticas desta advertência permanecem vagas.

Por mais perigoso que seja o arsenal de armas químicas da Síria, não se pode comparar a outro risco que se tornou evidente no final do passado mês de Fevereiro, quando os rebeldes sírios invadiram uma base de mísseis Scud em Al-Kibar, no deserto longínquo da região nordeste do país. Sob a instalação encontram-se enterrados os restos do reactor nuclear de construção norte-coreana que a Força Aérea israelita destruiu a 6 de Setembro de 2007.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To continue reading, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you are agreeing to our Terms and Conditions.

Log in

http://prosyn.org/0NSiG0c/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.