Paul Lachine

O Futuro do Conflito Ideológico

WARWICK - As eleições presidenciais francesas concluídas recentemente pareciam sugerir que as antigas divisões entre esquerda e direita se mantêm tão fortes como sempre - e decerto estão na sua terra de origem. Mas estarão?

O espectro político moderno é um artefacto da distribuição dos assentos na Assembleia Nacional francesa após a revolução de 1789. À direita do presidente da Assembleia sentavam-se os apoiantes do rei e da Igreja, enquanto à esquerda se sentavam os membros da oposição, cujo único ponto de concordância era a necessidade de uma reforma institucional. A divisão tirou partido de antigas associações culturais de direita e de esquerda com confiança e desconfiança, respectivamente - neste caso, do status quo.

Em retrospectiva, é notável que esta divisão tenha conseguido definir alianças políticas partidárias por mais de 200 anos, absorvendo tanto o grande movimento reaccionário como os movimentos radicais dos séculos XIX e XX. Mas o decréscimo no número de eleitores na maioria das democracias actuais sugere que esta forma de conceptualizar as diferenças ideológicas pode ter-se tornado obsoleta. Houve até quem argumentasse que as ideologias e os partidos são irrelevantes num cenário político cada vez mais fragmentado.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To continue reading, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you are agreeing to our Terms and Conditions.

Log in

http://prosyn.org/aOyRYAL/pt;

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.