africa farmer technology Billy Mutai/SOPA Images/LightRocket via Getty Images

Café, cacau e a tecnologia de ponta

WASHINGTON, DC –Aquele ritual matinal que é adorado por milhões de pessoas, uma simples chávena de café, pode um dia ser uma coisa do passado. Novas pesquisas mostram que 60% das 124 espécies de café selvagem do mundo enfrentam uma crescente ameaça de extinção, principalmente como consequência da desflorestação. Esta potencial perda de diversidade genética, por sua vez, limitaria as formas pelas quais o café poderia ser adaptado a alterações climáticas e a ameaças de doenças.

Não é só o café que está em perigo. A desflorestação também está a ameaçar o cacau e o futuro do chocolate. A perda da floresta na Amazónia está a acabar com espécies selvagens aparentadas do cacau, enquanto na África Ocidental está rapidamente a empobrecer os solos e a dificultar muito o cultivo. O empobrecimento dos solos, juntamente com o envelhecimento das árvores e o aumento do risco de pragas e doenças, está a ameaçar a subsistência dos pequenos agricultores, já pobres, que produzem a grande maioria do cacau e do café do mundo.

Com 25 milhões de produtores de café e até seis milhões de produtores de cacau (e as respetivas famílias) em todo o mundo, qualquer esforço para acabar com este ciclo de pobreza humana e de recursos naturais deve corresponder ao tamanho e ao escopo do problema. Felizmente, o uso inteligente de tecnologia de ponta torna possível enfrentar o desafio.

We hope you're enjoying Project Syndicate.

To continue reading, subscribe now.

Subscribe

Get unlimited access to PS premium content, including in-depth commentaries, book reviews, exclusive interviews, On Point, the Big Picture, the PS Archive, and our annual year-ahead magazine.

Help make our reporting on global health and development issues stronger by answering a short survey.

Take Survey

http://prosyn.org/3GlIHkK/pt;
  1. haass102_ATTAKENAREAFPGettyImages_iranianleaderimagebehindmissiles Atta Kenare/AFP/Getty Images

    Taking on Tehran

    Richard N. Haass

    Forty years after the revolution that ousted the Shah, Iran’s unique political-religious system and government appears strong enough to withstand US pressure and to ride out the country's current economic difficulties. So how should the US minimize the risks to the region posed by the regime?

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.