8

Vitória do Partido do Chá, Derrota Global

CAMBERRA – Não se esperaria muito interesse para além dos Estados Unidos, ou mesmo para além do seu próprio estado, quando um octogenário legislador conservador, que já serviu seis mandatos, perde o apoio do seu partido para se candidatar ainda mais uma vez. Mas a derrota esmagadora do Senador Richard Lugar nas recentes primárias Republicanas do Indiana, numa campanha de chocante insensatez apoiada pelo Partido do Chá, reverberou em capitais à volta do mundo, incluindo na minha.

Na maior parte dos assuntos, Lugar é e sempre tem sido um conservador natural. Recentemente, opôs-se a toda a principal legislação interna do Presidente Barack Obama, incluindo o pacote de estímulo económico, a reforma do sistema de saúde, e a regulação dos serviços financeiros, e tem consistentemente apoiado legislação antiaborto. Com o seu registo de 36 anos no Senado dos EUA, a sua estatura nacional, e um círculo eleitoral essencialmente conservador, certamente teria ganho outra vez em Novembro. Mas nada disto foi suficientemente persuasivo para os eleitores das primárias do Indiana, que elegeram o seu rival, o Tesoureiro Estadual Richard Mourdock, por uma espantosa margem de 20 pontos percentuais.

O problema de Lugar era duplo. Primeiro, pertencia à velha guarda que instintivamente procurava o compromisso ao longo das linhas do partido no Senado em assuntos cruciais, de modo a evitar o tipo de impasse que é sempre potencialmente endémico num sistema presidencial (ao contrário de um parlamentar), onde o executivo eleito não tem a maioria garantida na legislatura. Se as linhas do partido forem estritamente seguidas, os presidentes dos EUA podem ser impedidos de fazer aprovar qualquer legislação, ou de fazer nomeações judiciais ou de outro tipo.

Lugar, por exemplo, votou para confirmar as nomeações de Obama para o Supremo Tribunal. A posição de Mourdock, em contraste, era que, “O bipartidarismo devia consistir em Democratas a chegarem ao ponto de vista Republicano.”