A worker pushes a trolley as he walks between goods stored inside an Amazon.co.uk fulfillment centre  CHRIS J RATCLIFFE/AFP/Getty Images

Resolver o enigma da produtividade

SÃO FRANCISCO –Há vários anos que um dos maiores enigmas da economia tem sido explicar o declínio no crescimento da produtividade nos Estados Unidos e noutras economias avançadas. Os economistas têm proposto uma ampla variedade de explicações, que vão desde a medição imprecisa, a estagnação secular”, até ao questionamento sobre se as recentes inovações tecnológicas são produtivas.

Mas a solução para o enigma parece residir na compreensão das interações económicas e não na identificação de um único culpado. E, em relação a essa matéria, poderemos estar a chegar ao fundo da questão sobre o porquê de o crescimento da produtividade ter diminuído.

Analisando a década desde a crise financeira de 2008 –um período notável para a acentuada deterioração no crescimento da produtividade em muitas economias avançadas –identificamostrês excelentes características: o nível historicamente baixo do crescimento na intensidade de capital, a digitalização e uma fraca recuperação na procura. Juntas, estas características ajudam a explicar o porquê de o crescimento anual da produtividade ter caído 80%, em média, entre 2010 e 2014, passando de 2,4%, uma década antes, para 0,5%.

To continue reading, please log in or enter your email address.

To read this article from our archive, please log in or register now. After entering your email, you'll have access to two free articles from our archive every month. For unlimited access to Project Syndicate, subscribe now.

required

By proceeding, you agree to our Terms of Service and Privacy Policy, which describes the personal data we collect and how we use it.

Log in

http://prosyn.org/ldKAJ8J/pt;

Handpicked to read next

Cookies and Privacy

We use cookies to improve your experience on our website. To find out more, read our updated cookie policy and privacy policy.